08 outubro 2006

São Paulo da garoa! São Paulo terra boa?!?!?!?!?!?!


Pois é, garoou em São Paulo. Não sei se foi só uma garoa. Não chegou a ser uma chuva torrencial. Eu pelo menos não vi até o momento em que acordei (06:00 AM). Tudo bem, São Paulo é enorme. Pode não ter nem choviscado na Av. Paulista (onde eu estava) mas ter caído uma tempestade em Congonhas (pra onde eu iria mais tarde). A única coisa que eu sei é que um vôo da GOL derrapou na pista em Congonhas e o aeroporto ficou fechado um tempão. Não tenho maiores detalhes pois fiquei sabendo do assunto em conversas de corredor.

Pobre GOL. Um acidente terrível (espero que mantenham os pilotos do Legacy engaiolados um boooooom tempo) e agora uma derrapagem no aeroporto. Você talvez leia meu blog a algum tempo e sabe que eu tenho uma certa treta com a GOL. Não gosto desta companhiazinha, mas também não precisava de tanto! Eu não desejaria essa série de incidentes/acidentes pra ninguém. A bruxa deve estar à solta!

É.... A bruxa deve mesmo estar à solta. Vou contar meu dia:
Acordei, normal. Ao fazer o check-out do hotel fiquei sabendo que o hotel não poderia faturar a conta e eu tinha que pagar! Dei um cheque de R$751,00!!!!! Depois falei com meu sócio gerente e ele disse que ia alterar isso cancelando meu cheque. Depois disso fui trabalhar. Eu e o pessoal da Sabesp iríamos fazer algumas visitas a pontos de manutenção e atendimento a clientes em Carapicuíba. Ao sairmos da sede na vila Leopoldina um caminhão fechou o carro onde eu estava e quase batemos. Alguns km adiante, na marginal Pinheiros, outro caminhão entrou em nossa frente de repente e quase batemos novamente. Chegamos em Carapicuíba, normal. Na hora de ir embora almoçar, um cachorro atravessou a rua sem olhar para os lados e quase o atropelamos. A besta do cachorro sumiu sob o carro e reapareceu como se nada tivesse acontecido. Nos perdemos no caminho mas conseguimos chegar ao restaurante para almoçar.

Voltamos para sede para finalizar os trabalhos da semana, normal. Saí da Sabesp às 17:15. Não havia nenhum táxi no ponto próximos à Sabesp, meu celular não tinha bateria pra poder chamar outro carro e o orelhão em frente à Sabesp estava sendo usado. Atravessei uma avenida superlotada de carros e caminhões para tentar pegar um táxi no pulo, em direção a Congonhas. Consegui pegar um tiozinho espanhol parando para abastecer. Entrei no táxi e saímos do posto às 17:30. Após 20min de congestionamento estávamos na marginal. Após mais 10min estávamos na Av. dos Bandeirantes. Situação do trânsito? Velocidade média de 10km/h. Meia hora depois estávamos quaaaaaaase chegando no aeroporto.

Uma hora após ter embarcado no táxi e R$45,00 depois eu estava na fila da TAM. Bem, foi aí que aconteceu uma coisa ótima! Deixe eu contar do começo: A minha secretária (que chamarei de Lisa) tinha marcado minha passagem para o dia 05 às 18:54 (quinta-feira) mas eu tinha compromissos na sexta dia 06. Liguei para a TAM na Quarta Feira à noite para fazer a alteração e a atendente me disse que para alterar o vôo eu precisaria ir até uma loja TAM e pagar a taxa de remarcação de R$70,00. Bem, eu não poderia ir até a TAM na quinta feira. Então tentei mandar um email para a Lisa para que ela alterasse a passagem. Nada fazia com que o email fosse enviado. Desisti pensando em ligar para ela na quinta logo cedo.

Na quinta de manhã descubro que ela estava em SP pois ganhara passagens e hospedagem de nossa agência de viagens pelo dia da secretária. Resumindo, fora do escritório ela não poderia alterar a passagem. Liguei novamente ao atendimento TAM para tentar pagar isso com o cartão de crédito, por telefone. Impossível! E o pior é que ao mudar a passagem para o dia 06 eu não poderia fazer uma reserva e pagar ao chegar ao aeroporto. Mas então a atendente da TAM me deu uma boa notícia: a passagem fora emitida pela agência de viagens e eles poderiam fazer a alteração por mim! Ótimo! Liguei para o escritório da agência e tudo certo; exceto pelo fato de que eu teria que pagar os R$70,00 antes de embarcar em Congonhas.

Pronto. Agora sim podemos falar da coisa ótima que aconteceu hoje (06/10/2006). Após uma hora de táxi fui à loja TAM no aeroporto pra pagar a taxa de remarcação. O aeroporto, assim como o trânsito para chegar até ele, estava infernal. Muita gente, muito barulho, muita confusão. Para a minha surpresa, a loja TAM estava praticamente sem fila. Fui extremamente bem atendido. Demorou um pouquinho, mas a mocinha estava realmente tentando me ajudar da melhor forma possível. E conseguiu! Encontrou um jeito de emitir minha passagem com um preço menor do que o preço que a agência pagou. Cerca de R$100,00 mais barato! Com isso ela descontou os R$70,00 da taxa de remarcação e eu ainda fiquei com crédito de R$30,00!!!!!! Estava preparado pra pagar. Não paguei e ainda fiquei com o troco!!!!!!

A fila do check-in estava enorme, mas eu lia enquanto esperava e nem vi o tempo passar. Fiz o check-in, e outra atendente foi super gente boa comigo. Falou que eu era o primeiro Arthur que ela atendia em cinco meses e blá blá blá. Caramba, o que está acontecendo com essas mulheres da TAM? Será que meu desodorante novo atrai atendentes TAM???? (Ih, minha esposa não vai gostar disso....). Com toda a benevolência que ela me atendeu, quando eu pedi uma janelinha lá na frente no avião, ela me deu a primeira poltrona, a que tem maior espaço para a perna. Muito legal.

Na hora de ir para a sala de embarque, fila quilométrica no raio-x. Caraca! Já vi Congonhas lotado, mas com fila no raio-x acho que fica para a história!

Liguei para a minha esposa e ela me disse que está caindo uma chuva terrível em casa (do lado de fora é claro!). Muita água, raios e trovões. Espero que o avião, o mísero Fokker-100, consiga pousar.

Bem, neste instante estou na sala de embarque, com o laptop plugado na tomada, digitando este post. Se você está lendo isto em meu blog é sinal que eu cheguei em casa são e salvo....

Agora vou desligar para tentar recarregar meu celular.

Um comentário:

cunhada disse...

Huahuahuahua...seria cômico se não fosse trágico! Suas "viagens" andam cada vez mais "jornadas"! Coitado...